quarta-feira, 13 de junho de 2018

Confira como foram os Sarau Literários do Livro Solidário


A Imprensa Oficial do Estado (IOE) e a Secretaria de Estado de Cultura (Secult) promoveram o Sarau Literário, que fez parte da programação da XXII Feira Pan-Amazônica do Livro.  

O evento contou com a presença dos escritores Paulo Maués, Mary Del Priore, Celso Antunes e Daniel Leite. O amazonense Milton Hatum não veio por motivo de saúde, mas teve seu livro representado no evento.
Veja como foi.   


SarauLiterário dá vida a obras de escritor paraense em escola pública

Adolescentes da Fasepa transformam literatura em espetáculo no Margarida Schivasappa


Alunos do Pro Paz revivem a história do Brasil e se preparam para a Feira do Livro



Celso Antunes se emociona com homenagem de alunos da Cabanagem

Escritor Daniel Leite se emociona em mais um Sarau Literário da Feira do Livro


sexta-feira, 8 de junho de 2018

Escritor Daniel Leite se emociona em mais um Sarau Literário


“A cultura tem o poder emocionar”. A frase dita pela professora Ruth Valin marcou o tom do Sarau Literário na manhã desta sexta-feira, 8, no Preventório Santa Terezinha, no bairro do Marco, em Belém, que contou com a presença do escritor paraense Daniel Leite, homenageado pelas crianças atendidas pela instituição e os da Escola Estadual Santa Terezinha, que funciona no mesmo prédio.

Elas cantaram músicas infantis e recitaram trechos das obras “A história das crianças que plantaram um rio” e “A menina árvore”, de Daniel Leite, além de uma dramatização sobre a primeira obra.

Muito concentrados e com a leitura bem ensaiada, os pequeninos emocionaram a todos. Principalmente o escritor convidado para o Sarau. Segundo a professora Odinéia Bastos, que orientou os alunos na leitura do livro “A história das crianças que plantaram um rio”, as crianças soltaram a imaginação durante a leitura da obra, e dessa viagem saíram desenhos, pinturas, colagens e poemas, que enfeitaram o auditório e os corredores da instituição, encantando a todos os presentes.

“Eles (os alunos) não têm o hábito da leitura, mas eles foram soltando a imaginação conforme a gente ia lendo pra eles. O Sarau veio completar o nosso trabalho de educação. Esse momento eles nunca vão esquecer”, acredita Bastos. Bruno Moura, de 6 anos, estava eufórico com o evento e disse que tinha gostado muito das histórias dos livros lidos pelas professoras. “Eu gostei mais da menina da árvore”, contou Kathlen da Silva, 6.

Depois de acompanhar todas as apresentações, Daniel Leite, emocionado,  disse que só uma palavra poderia resumir aquele momento: “Gratidão”. “É tudo o que posso dizer. As crianças compreenderam a mensagem de que é possível sonhar; e acordar pra sonhar, ao contrário do que seria comum. Isso me faz acreditar no Brasil”, pontuou Leite. 

Segundo ele, toda vez que uma criança de apropria de um livro e o torna algo particular, ‘isso me anima muito, me deixa muito feliz’. E comparou: “Hoje, aqui no Preventório Santa Terezinha, as crianças me deram uma aula de vida; foi uma verdadeira transfusão de energia”, externou.

Segundo a coordenadora do projeto Livro Solidário, da Imprensa Oficial do Estado Carmen Palheta, “o Sarau alcançou um patamar dentro das escolas que talvez a gente nem tivesse projetado. As pessoas conseguem se envolver com os livros propostos de uma forma especial e dão uma dimensão muito maior pra essa ação de estímulo à leitura que começamos há quase oito anos. Aqui no Preventório foi mais um momento de emoção. E só temos a agradecer a todos os envolvidos no desenvolvimento do Sarau”, pontuou Palheta.

O Sarau Literário encerra neste sábado, 9, às 10h30, no Hangar, com uma reunião do melhor que foi apresentado durante a semana em todos os polos que receberam o evento literário.

O Sarau Literário é resultado da parceria do projeto Livro Solidário coordenado pela Imprensa Oficial do Estado (IOE) com a Secretaria de Estado de Cultura (Secult), com o Pan-Amazônica na Escola. E parte integrante da programação da 22ª Pan-Amazônica do Livro. O evento tem apoio do Núcleo de Articulação e Cidadania (NAC). 


Texto: Ascom IOE

quinta-feira, 7 de junho de 2018

Preventório Santa Terezinha recebe Sarau com o escritor Daniel Leite


A Imprensa Oficial do Estado (IOE) e a Secretaria de Estado de Cultura (Secult) realizam nesta sexta-feira, 8, mais um Sarau Literário, no Preventório Santa Terezinha, no bairro do Souza, em Belém.

O evento que faz parte da programação da XXII Feira Pan-Amazônica do Livro, contará com a participação do escritor Daniel Leite. O Sarau será às 9h.
Dois livros do escritor foram sugeridos para que os alunos trabalhassem a leitura e pudessem fazer performances e leitura dramática, por exemplo.

‘A história das crianças que plantaram um rio’ é um livro para se ler como quem ouve uma história, daquelas encantadas que só as avós sabem contar. Um livro para acender a imaginação. “Uma narrativa-candeeiro para iluminar gente de todas as idades”, destaca o escritor na apresentação da obra. 

Já ‘A Menina Árvore’, conta a história de uma menina que, ao adormecer, ouve uma voz a convidando a “acordar para sonhar". “A menina sonha com passarinhos em seus cabelos, árvores que bailam e se entrelaçam, céu que vira mar e estrelas que viram baleias. As árvores bailarinas têm flores em suas mãos e braços que viram asas” pontua Daniel Leite.

SERVIÇO
Data: 08/06, 6ª feira, às 9h, com Daniel Leite, no Preventório Santa Terezinha. Av. Almirante Barroso, 4352, Souza (Altos).

quarta-feira, 6 de junho de 2018

Educador Celso Antunes participa de Sarau na Cabanagem


O educador Celso Antunes será o convidado do Sarau Literário na Escola Cônego Batista Campos, do bairro da Cabanagem, em Belém. O evento inicia às 9h, com a presença do escritor. 

Os alunos receberam como indicação de leitura o livro ‘Sala de Aula e Futebol’ onde o escritor e educador procura mostrar a estreita relação entre o jogo e a aula e entre a rotina na escola e a emoção no campo, buscando fazer de cada leitor um protagonista capaz de pensar identidades e de transferir experiências.

O Sarau Literário é realizado por meio do projeto Livro Solidário da IOE e o Pan-Amazônica na Escola, da Secult, e faz parte da programação da XXII Feira Pan-Amazônica do Livro.

SERVIÇO
Dia 07/06, 5ª feira, às 9h.
Local: Escola Cônego Batista Campos, Rua Cônego Batista Campos s/n Cabanagem.

terça-feira, 5 de junho de 2018

Imprensa Oficial arrecada doações de livros na Feira do Livro


O projeto Livro Solidário marca presença, novamente, durante a Feira Pan-Amazônica do Livro com a campanha “Já leu? Não quer mais?” que estimula a doação de livros usados para bibliotecas públicas, organizações sociais, instituições, centros comunitários e escolas.

Os interessados podem fazer doações no estande da Imprensa Oficial do Estado, onde também vão poder conhecer mais um pouco sobre o projeto e os lugares contemplados com os livros.
De 2011 – quando iniciou o projeto – até os dias atuais, mais de 50 mil livros foram encaminhados para várias instituições. No material distribuído para o público da Feira, consta informações sobre os Espaços de Leitura, a história do projeto e como fazer as doações depois de encerramento da Feira. 

SERVIÇO:
Doações podem trazer diretamente no estande na feira, até o dia 10 junho, ou na sede da IOE, que fica na Travessa do Chaco, número 2271, no bairro do Marco, em Belém.




quarta-feira, 30 de maio de 2018

Sarau Literário leva escritores para dentro das escolas do Estado


A Imprensa Oficial do Estado (IOE) e a Secretaria de Estado de Cultura (Secult) promovem, entre os dias 4 e 9 de junho, o Sarau Literário, que faz parte da programação da XXII Feira Pan-Amazônica do Livro.  

O evento realizado por meio do projeto Livro Solidário da IOE e o Pan-Amazônica na Escola, da Secult, terá a participação dos escritores Paulo Maués, Mary Del Priore, Celso Antunes e Daniel Leite.

A culminância do evento vai acontecer no dia 9, às 10h30, no Hangar, quando será mostrado um mix de algumas das apresentações que ocorreram nas escolas. A entrada é franca.

A abertura do Sarau Literário será no dia 4, às 9h, na Escola Álvaro Adolfo, do município de Ananindeua, que contará com a presença do escritor Paulo Maués. Os alunos, com a ajuda de professores e arte educadores, se debruçaram durante quase dois meses na leitura dos livros ‘Festa no Cemitério’, ‘A Loira do Banheiro’, e ‘História da Cobra Grande’, para poderem desenvolver as apresentações que prometem surpreender os convidados.

Os mitos amazônicos, a riqueza da oralidade, a diversidade de relatos e narrativas sobre o tema se transformaram em objeto de trabalho do pesquisador Paulo Maués Corrêa. Essa oralidade rica foi reunida pelo escritor ao longo de mais de duas décadas de pesquisa. Desde 1999, o autor estuda o universo das lendas da região e colhe narrativas de personagens que encontra em suas andanças pelo Pará.

Os socioeducandos da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa) desvendaram a história narrada no livro ‘Relato de Um Certo Oriente’, do escritor amazonense Milton Hatoum, para apresentarem em formado de performance teatral, no Sarau Literário, no dia 5 de junho, às 9h30, no Teatro Margarida Schivasappa.

“As instalações cênicas que envolvem artesanatos, pinturas e desenhos, a performance teatral com a ideia central de uma colcha de retalhos, declamações de poesias , leituras dramática de poemas, teatro em movimento e a musicalização são as ações que desenvolverão a apresentação neste sarau”, explicou Marta Santos, coordenadora da Ação Talentos, da Fasepa.

Relato de Um Certo Oriente, de 1989, primeiro romance de Milton Hatoum, debruça-se sobre um tema bastante comum: a família e seus dramas. A procura por mostrar as dificuldades presentes na convivência diária de familiares e amigos entre si, com seus diferentes segredos e comportamentos, faz deste um grande enredo.

O romance mostra que o refúgio da memória é a interioridade do indivíduo, reduzido e isolado na sua própria história, quase que incomunicável com outro mundo que não seja o dele.

As verdadeiras histórias do país resgatadas pela escritora Mary Del Priore, serão destacadas pelos jovens atendidos pela Fundação Pro Paz na unidade da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFPA). O Sarau vai ocorrer no dia 06, às 9h, na Av. Presidente Tancredo Neves, 2501, no bairro da Terra Firme. Os jovens receberam como indicação de leitura o livro ‘Histórias da Gente Brasileira – Volume 1. Colônia’.

Ainda no processo de preparação dos jovens pro evento, eles participaram, no Museu de Arte sacra, da Igreja de Santo Alexandre, de uma palestra com o historiador Aldrin Moura de Figueiredo, sobre a obra da escritora visando à montagem de uma peça de teatro sobre a leitura indicada. Foi o momento dos alunos fazerem perguntas sobre a vida e obra da escritora.

Mary Del Priore nos presenteia, neste livro, com as verdadeiras histórias do país, aquelas que retratam intimamente a vida da gente brasileira. Nele, se descobre como as pessoas se vestiam, onde moravam, o que comiam, o que faziam para se divertir e tantos outros fatos “menores”, que muito dizem sobre elas – e sobre nós. Este é o primeiro volume da coleção “Histórias da gente brasileira” – focado na época do Brasil Colônia.

O educador Celso Antunes será o convidado da Escola Cônego Batista Campos, do bairro da Cabanagem, às 9h, do dia 7.  Os alunos receberam como indicação de leitura o livro ‘Sala de Aula e Futebol’ onde o escritor e educador procura mostrar a estreita relação entre o jogo e a aula e entre a rotina na escola e a emoção no campo, buscando fazer de cada leitor um protagonista capaz de pensar identidades e de transferir experiências.

O último dia do Sarau Literário vai acontecer no Preventório Santa Terezinha, no bairro do Souza, em Belém, com a participação do escritor Daniel Leite. O evento será no dia 8, às 9h. Dois livros do escritor foram sugeridos para que os alunos trabalhassem a leitura e pudessem fazer performances e leitura dramática, por exemplo.

‘A história das crianças que plantaram um rio’ é um livro para se ler como quem ouve uma história, daquelas encantadas que só as avós sabem contar. Um livro para acender a imaginação. “Uma narrativa-candeeiro para iluminar gente de todas as idades”, destaca o escritor na apresentação da obra. 

Já ‘A Menina Árvore’, conta a história de uma menina que, ao adormecer, ouve uma voz a convidando a “acordar para sonhar". “A menina sonha com passarinhos em seus cabelos, árvores que bailam e se entrelaçam, céu que vira mar e estrelas que viram baleias. As árvores bailarinas têm flores em suas mãos e braços que viram asas” pontua Daniel Leite.

SERVIÇO
04/06, 2ª feira, às 9h, Paulo Maués, na Escola Álvaro Adolfo, situada na Rua Magalhães Barata, Guanabara Ananindeua.
05/06, 3ª feira, às 9h30. Escritor Milton Hatoum, com socieducandos da FASEPA, no Teatro Margarida Schivasappa da Fundação Cultural do Pará.
06/06, 4ª feira, às 9h, com a presença da escritora Mary Del Priore. Fundação Pro Paz Ufra.  Av. Presidente Tancredo Neves, 2501,Terra Firme.
07/06, 5ª feira, às 9h. O escritor convidado será Celso Antunes na Escola Cônego Batista Campos, Rua Cônego Batista Campos s/n Cabanagem.
08/06, 6ª feira, às 9h, com Daniel Leite, no Preventório Santa Terezinha. Av. Almirante Barroso, 4352, Souza (Altos).

Ascom/IOE

quinta-feira, 24 de maio de 2018

Obra de Mary Del Priore vai ganhar vida em Sarau Literário


As verdadeiras histórias do país resgatadas pela escritora carioca Mary Del Priore, serão destacadas pelos jovens atendidos pela Fundação Pro Paz na unidade da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), em um Sarau Literário que será realizado no dia 6 de junho, às 9 horas,  na Av. Presidente Tancredo Neves (Perimetral), 2501, no bairro da Terra Firme.

O Sarau é um dos cinco saraus literários que fazem parte da programação da XXII Feira Pan-Amazônica do Livro, realizado por meio do projeto Livro Solidário da Imprensa Oficial do Estado (IOE) e o Pan-Amazônica na Escola, da Secretaria de Estado de Cultura (Secult).

Os jovens receberam como indicação de leitura o livro ‘Histórias da Gente Brasileira – Volume 1,  Colônia’. Ainda no processo de preparação para o evento, eles participaram, no Museu de Arte sacra da Igreja de Santo Alexandre, de uma palestra com o historiador Aldrin Moura de Figueiredo, sobre a obra da escritora Del Priore. 
O objetivo é conhcer ainda mais a obra para produzirem o sarau.   

“Temos uma grande equipe envolvida nesse trabalho de preparação dos alunos para o Sarau. Os professores e arte-educadores dos Polos do Pro Paz têm realizado ensaios intensos com os alunos”, afirmou Luci Azevedo, coordenadora Geral do Propaz nos bairros, e organizadora do Sarau na UFRA. 



Ela explicou que o processo de preparação para o evento foi dividido em duas etapas: a primeira com a palestra do professor Aldrin Figueiredo que oportunizou aos alunos uma experiência de pertencimento e compreensão histórica da herança deixada por nossos antepassados. “A segunda está sendo feita com leituras, montagem da coreografia e do figurino”, pontuou.

SOBRE A OBRA
A obra de Mary del Priore  escolhida fala das verdadeiras histórias do país, aquelas que retratam intimamente a vida da gente brasileira. Nele, se descobre como as pessoas se vestiam, onde moravam, o que comiam, o que faziam para se divertir e tantos outros fatos “menores”, que muito dizem sobre elas – e sobre nós. Este é o primeiro volume da coleção “Histórias da gente brasileira” – focado na época do Brasil Colônia.

SERVIÇO:
Sarau literário da UFRA
Dia 06/06, 4ª feira, às 9h, com a presença da escritora Mary Del Priore. Local: Fundação Pro Paz UFRA.  Av. Presidente Tancredo Neves, 2501,Terra Firme.

Texto: Ronaldo Quadros- ASCOM/IOE
Fotos: Fernando Sette